Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/1558
Tipo do documento: Tese
Título: Representações de masculinidades e identidades de gênero de estudantes do ensino médio e a relação com as violências na escola pública
Autor: Couto, Maria Aparecida Souza 
Primeiro orientador: Cruz, Maria Helena Santana
Resumo: Esta pesquisa objetivou desvendar as representações de masculinidades e feminilidades de alunos/as do ensino médio da escola pública e o modo como tais representações relacionam-se à ocorrência de episódios de violência no cotidiano escolar. A pretensão também se volta para as representações de docentes, da forma como eles/as percebem o seu papel na construção das identidades de gênero dos/as alunos/as. O interesse pelo objeto nasceu da constatação de que o quadro da violência entre os jovens do sexo masculino, no Brasil, apresenta-se, na atualidade, em números significativamente elevados fato este que dá ensejo a uma reflexão acerca das articulações entre os valores hegemônicos atribuídos ao masculino, nos episódios de violência. Desse modo, o conceito de gênero adotado remete à construção social e relacional de corpos sexuados, portanto, datados social e historicamente, inscritos numa determinada cultura. A utilização da teoria das representações sociais mostrou-se caminho profícuo para atingir os propósitos, na medida em que investiga como se formam e como funcionam os sistemas de referência utilizados para classificar pessoas e grupos, e para interpretar os acontecimentos da realidade cotidiana. O estudo de caso de cunho etnográfico favoreceu o uso das técnicas qualitativas e quantitativas de pesquisa. Os sujeitos da pesquisa foram 33 alunos/as e 10 docentes, 04 coordenadoras e a diretora de uma escola de ensino médio da rede pública estadual na cidade de Aracaju-SE. Como fonte de dados, recorreu-se a documentos e estatísticas sobre a violência, bem como à bibliografia pertinente relativa à temática em tela. Como instrumento de pesquisa, foi usada a observação direta realizada nos turnos diurno e noturno, em sala de aula, no pátio e nos diversos momentos da escola. As entrevistas semiestruturadas foram realizadas com discentes e docentes, como estratégia capaz de aprofundar o conhecimento sobre o fenômeno da violência na escola, tendo gênero como categoria de análise. Os resultados informam que as violências na escola estão atreladas às representações de masculinidades ditas tradicionais, marcadas pelo machismo, competição por espaços de poder e confirmação das identidades masculinas. Por outro lado, a ascensão da violência entre as meninas emerge significativamente, assim como a expressão da violência simbólica e de preconceitos diversos, nomeadamente contra as identidades consideradas diferentes do modelo heteronormativo.
Abstract: This research aimed to uncover representations of masculinity and femininity of male and female students secondary public school and how these representations are related to the occurrence of a episodes of violence in everyday school life. There is also the intention of researching representations of teachers, how they perceive themselves and their role in the construction of gender identities of students. The interest in the subject arose from the observation that, currently in Brazil, the picture of violence among young males has significantly elevated numbers, a fact that demands a reflection on the links between the values attributed to the hegemonic male and episodes of violence. In this way, the concept of gender adopted to the social and relational construction of sexed bodies and therefore bodies that are socially and historically dated, inscribed in a particular culture. Using social representations theory proved to be useful to achieve the purpose, in that it investigates how the reference systems used to classify individuals and groups are formed and function to interpret events from everyday reality. The ethnographic case study favored the use of qualitative and quantitative research techniques. The study subjects were 33 students, divided between male and female students and 10 teachers, 04 coordinators and the director from a public high school in the city of Aracaju-SE. As a source of information, we used documents and statistics on violence, as well as bibliography relating to the phenomenon. Direct observation as a research tool, was used to conducted in day and night shifts, in the classroom, in the courtyard and at various moments in the school. Semi-structured interviews were conducted with students and teachers, as a strategy to deepen knowledge about the phenomenon of school violence, having gender as a category of analysis. The results report that violences in school are tied to so-called traditional representations of masculinity, marked by machismo, competition for positions of power and confirmation of masculine identities. Moreover, the rise of violence among girls emerge significantly, as well as the expression of symbolic violence and various prejudices, particularly against different identities distinct from the heterosexual model.
Palavras-chave: Escolas públicas
Estudantes - Violência
Masculinidade
Violência na escola
Gênero
Public schools
School violence
Students
Violence
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: 
Instituição: 
Sigla da instituição: 
Departamento: Educação
Programa: Pós-Graduação em Educação
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/1558
Data de defesa: 6-Mar-2013
Aparece nas coleções:Mestrado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
MARIA_APARECIDA_SOUZA_COUTO.pdf1,93 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.