Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/1562
Tipo do documento: Dissertação
Título: Representações de gênero sobre o trabalho, a qualificação e as novas competências no COE - Comando de Operações Especiais da PM/SE
Autor: Lima, Susana Rezende 
Primeiro orientador: Cruz, Maria Helena Santana
Resumo: Esta pesquisa tem como objetivo analisar as representações de gênero construídas por profissionais do Comando de Operações Especiais da Polícia Militar do Estado de Sergipe COE, tendo como parâmetro a divisão sexual do trabalho, a valorização da qualificação profissional e de novas competências, atribuindo-se especial destaque aos avanços obtidos por mulheres na Organização, com relação aos direitos e à cidadania. A abordagem adotada apoia-se na concepção histórico-crítica, tendo como opção metodológica a pesquisa qualitativa, por meio do estudo de caso desenvolvido na Organização. A população da pesquisa abrange o efetivo de 98 profissionais (93 homens e cinco mulheres) policiais do grupo especializado do COE. Foram realizadas dez entrevistas semiestruturadas com cinco mulheres e cinco homens. A Polícia Militar é uma organização que ainda possui fortes marcas do conservadorismo em sua estrutura, com uma hierarquia rígida, o que tem dificultado, ao longo dos anos, o acesso e a permanência das mulheres no contexto de trabalho associado a diversas representações sociais, entre as quais se destaca a imagem de uma atividade fisicamente exigente e arriscada, em contato com situações de violência e com ambientes socialmente desvalorizados. No processo de inserção feminina no aparelho policial militar, ao assumir novos postos na hierarquia dos círculos de convivência, o sexo dos sujeitos trabalhadores torna-se fonte de status e poder, implicando o modo de introdução e posicionamento nos postos de trabalho, fato que define o processo de exclusão-dominação no interior do aparelho policial. As entrevistadas consideram que existem barreiras para avanços mais efetivos na participação da mulher no espaço da Polícia Militar, contudo, indicam dimensões de positividade no trabalho realizado por elas, isto porque essas dimensões têm proporcionado ampliar a democratização na corporação, assim como entre a Polícia e a sociedade. No Comando de Operações Especiais, apesar do pequeno número de mulheres existentes, elas desenvolvem funções e ações que sempre foram vistas como adequadas apenas para homens. A educação, a capacitação em questões de gênero para os sujeitos envolvidos e inseridos na Corporação tornam-se elementos importantes para mudar as formas de gestão, a cultura organizacional e a desconstrução de estereótipos desvantajosos para as mulheres ainda vigentes na organização.
Abstract: This research aims to examine gender representations built by professionals Special Operations Command of the Military Police of the State of Sergipe - COE, having as parameter the sexual division of labor, the value of professional qualifications and new skills, assigning special attention to the advances made by women in the organization, with respect to rights and citizenship. The approach adopted is based on the historical-critical design, with the option methodological qualitative research through case study developed in the Organization. The research population includes the effective of 98 professionals (93 men and five women) group of specialized police COE. Ten interviews were conducted semistructured with five women and five men. The Military Police is an organization that still has strong brands of conservatism in its structure, with a strict hierarchy, which has hampered over the years, access and retention of women in the workplace associated with various social representations, between which highlights the image of a physically demanding and risky activity, contact with violent situations and environments socially devalued. In the process of inclusion of women in the military police unit, to assume new positions in the hierarchy of living circles, the subject of sex workers becomes a source of status and power, leading the way in introducing and positioning jobs, a fact that sets the process of exclusion and domination within the police apparatus. The interviewees consider that there are barriers to progress more effective participation of women in the space of the Military Police, however, indicate dimensions of positive work done by them, this is because these dimensions have provided expand democratization in the corporation, as well as between the Police and society. In Special Operations Command, despite the small number of women exist, they develop functions and actions that have always been seen as suitable only for men. Education, training on gender issues for the individuals involved and included in the Corporation become important elements for changing the forms of management, organizational culture and the deconstruction of stereotypes disadvantageous for women prevailing in the organization.
Palavras-chave: Trabalhadores - Gênero
Educação para o trabalho
Qualificações profissionais
Polícia militar
Profissões - Gênero
Career education
Employees
Military police
Professions
Vocational qualifications
Working class
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: 
Instituição: 
Sigla da instituição: 
Departamento: Educação
Programa: Pós-Graduação em Educação
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/1562
Data de defesa: 12-Mar-2013
Aparece nas coleções:Mestrado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
SUSANA__REZENDE_LIMA.pdf1,58 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.