Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/3622
Tipo do documento: Tese
Título: O descoroamento da Princesa do Sertão : de "chão" a território, o "vazio" no processo de valorização do espaço
Autor: Freitas, Nacelice Barbosa 
Primeiro orientador: Conceição, Alexandrina Luz
Resumo: Estudar o processo de formação territorial no estado da Bahia, tendo Feira de Santana como recorte escalar, visa desvelar circunlóquios e práticas que materializam os poderes sustentados por instituições políticas e econômicas sobre esta escala geográfica. O estudo enfoca o sertão/território como lócus da implantação da territorialização do capital, espaço que é compreendido enquanto relação dialética em suas múltiplas dimensões escalares. A diferença litoral versus sertão explicada sob o viés marxista se inscreve na divisão social e territorial do trabalho, onde o social e o político estão submetidos ao crivo do capital em suas múltiplas determinações. Se o real é contraditório no seu fazer e (re)fazer-se, a geografia do sertão é concretude desse movimento. O ponto de partida - Feira de Santana - é a escala de análise, lugar que serve de alicerce para a busca do conhecimento sobre a formação territorial do sertão. A construção/criação do sertão baiano institui um desafio para se pensar a importância econômica e política da localização geográfica de Feira de Santana, enquanto Princesa do Sertão e Portal do Sertão. O processo de investigação tornou possível perceber as profundas transformações no seu espaço urbano. Cada contexto histórico contribuindo para firmar a cidade como Princesa do Sertão. A investigação conduziu a análise territorial tratada como relação sertanejo-litorânea que é a formação da nação brasileira. Conclui-se que é no sertão que se produz uma nacionalidade brasileira porquanto esse não é somente um espaço que se incumbiu de carregar uma nomenclatura repleta de estereótipos e múltiplos significados. Feira de Santana se inclui nesse lugar considerado por muitos estudiosos como espaço de localização imprecisa, indefinida, de fronteiras fragilizadas. Território de acumulação primitiva e reserva de valor. Essa condição a conduz a ser chão transformado em território, onde a ideia de vazio foi ao longo do espaço-tempo, conteúdo essencial para o processo de valorização do capital. Sertão, sertanejo que assume diferentes significados para constituir-se vereda do capital.
Abstract: To study the process of territorial formation in the state of Bahia, we catagorised Feira de Santa in scaled sections, aiming to unveil euphemism and practices that create the powers supported by political and economic institutions on this geographical scale. The study focuses on the Sertão/territory as the locus of implementation of the territorial capital, a space which is understood as a dialectical relationship in its multiple scaled dimensions. The difference between litoral and sertão (coastal & dry land) explained under the Marxist orientation, falls within the social and territorial division of labour, where the social and political are subjected to the scrutiny of the capital in its multiple determinations. The reality is contradictory in its making and remaking the geography of the sertão (dry land) and signifies the concreteness of this movement. The starting point-is that Feira de Santana-is the scale of analysis, a place that serves as the foundation for the pursuit of know ledge about the territorial formation of the sertão. The construction/creation of the Bahian sertão establishes a challenge to consider the economic and political importance of the geographical location of Feira de Santana, as Princess and Portal of the Sertão. The research process has made it possible to understand the profound changes in its urban space and the historical context helping to establish the city as Princess of Sertão. The investigation led to the territorial analysis treated as the sertanejo- litorâneo relationship, which is the formation of the Brazilian nation. In conclusion, it is the Sertão that creates a Brazilian nationality, therefore this is a space that is instructed to carry a nomenclature full of stereotypes and multiple meanings. Feira de Santana is included in this place considered by many scholars as a space of no precise location, undefined, the fragile borders. There is a primitive accumulation and store of value in the territory. This condition causes a transformation into ground territory, where the idea of emptiness throughout space-time, is an essential context to the process of creating value for the capital. The Sertão, in the sertanejo area, assumes different meanings in constituting the streams of the capital.
Palavras-chave: Geografia
Geografia humana
Geografia urbana
Urbanização
Economia regional
Feira de Santana (BA)
Sertão
Litoral
Território
Formação territorial
Diferenciação
Igualização
Valorização do espaço
Territory
Territorial formation
Differentiation
Igualization
Valorization of the space
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Sergipe
Sigla da instituição: UFS
Departamento: Geografia
Programa: Pós-Graduação em Geografia
Citação: FREITAS, Nacelice Barbosa. O descoroamento da Princesa do Sertão : de "chão" a território, o "vazio" no processo de valorização do espaço. 2014. 416 f. Tese (Pós-Graduação em Geografia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/3622
Data de defesa: 8-Jan-2014
Aparece nas coleções:Doutorado em Geografia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
NACELICE_BARBOSA_FREITAS.pdf14,75 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.