Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/450
Tipo do documento: Tese
Título: Teorias sociológicas sobre a modernidade e práticas civilizatórias contemporâneas
Autor: Leal, Edilene Maria de Carvalho 
Primeiro orientador: Brüseke, Franz Josef
Resumo: O objetivo central desta tese é analisar as possibilidades efetivas de práticas civilizatórias nas sociedades contemporâneas. Para isso, duas hipóteses fundamentais nortearam, de maneira sub-reptícia, mas enfática, as argumentações desta análise: a primeira seria a recusa da crença moderna nos poderes amplos e inexoráveis da racionalidade tanto daquela que apontava para seus resultados universalmente positivos, quanto da que consistia numa crítica mordaz à sua incapacidade de produzir um mundo civilizatoriamente compartilhado; a segunda refere-se à recusa de uma desconstrução crítica pós-moderna da racionalidade, que resultou no mundo do relativismo e da consequente configuração do mundo vazio de valoração ética. Na ocasião, analisamos a metafísica que animava a modernidade: a tentativa incansável de separar a racionalidade da influência negativa dos dados da irracionalidade. Entretanto, nem todos os pensadores se renderam ao projeto racionalista da modernidade. Freud, Arendt, Foucault, por exemplo, perceberam que o processo civilizatório é ontologicamente constituído pela mistura prática de vários elementos díspares: é, simultaneamente, racional e irracional; factual e valorativo; regular e contingente. Foram esses e outros importantes autores que nos ajudaram a pensar sobre a segunda hipótese de trabalho desta tese, ou seja, a de que o significado dos termos modernidade e civilização, bem como todos os outros termos que lhes são referentes, são construídos em seu uso cotidiano, nas práticas sociais, nos embates coletivos e nas lutas políticas. Sendo assim, não existem significados prévios às suas inscrições no mundo, ou seja, mundo é resultado do efeito de cada coisa, cada objeto, cada processo. Com isso, não se quer dizer que determinado significado de civilização não possa manter-se ativo na orientação de condutas coletivas (de sociedades), como se estivéssemos negando a possibilidade de constituição de consensos duradouros. Não nos posicionamos em favor do relativismo, ao contrário, temos defendido que, mesmo nas sociedades contemporâneas, podem ser visualizadas produtivas tentativas de elaboração de práticas civilizatórias. Por último, o que articula tais hipóteses é o entendimento de que as práticas, de qualquer natureza, são cravejadas de ponta a ponta por relações de poder, por relações de força e de interesses, que fornecem o tom e a textura das dinâmicas científicas, sociais, políticas e culturais, dinâmicas essas que caracterizam, sobremaneira, o desenvolvimento da ação civilizatória.
Abstract: The aim of this thesis is to analyze the effective possibilities of civilizing practices in the contemporary societies. For this, two fundamental hypotheses guided, so surreptitious but emphatic, the arguments of this analysis: the first would be the denial of the modern belief in the broad and inexorable powers of the rationality . both the rationality which pointed to their universally positive results, as that which was a scathing criticism of its inability to produce a civilly shared world; the second refers to the denial of a postmodern critical deconstruction of rationality, which resulted in the world of the relativism and the consequent configuration of the world without ethical appreciation. On occasion, we analyze the metaphysics that animated the modernity: the tireless attempt to separate the rationality from the negative influence of the irrationality data. However, not all thinkers surrendered to the rationalist project of the modernity. Freud, Arendt, Foucault, for example, realized that the combination of various disparate elements: it.s, simultaneously, rational and irrational; factual and evaluative; regular and contingent. It was these and other important authors who helped us to think about the second working hypothesis of this thesis, namely, that meaning of the terms modernity and civilization, as well as all the other terms relating to them, are constructed in their daily use, social practices, the collective shocks and political struggles. Thus, there is no meanings that precede their subscriptions in the world, i.e. the world is the result of the effect of each thing, each object, each process. With this, we are not saying that particular meaning of civilization cannot remain active in the orientation of collective conduct (of societies), as if we were denying the possibility of creating lasting consensus. We are not positioned in favor of the relativism; to the contrary, we have argued that, even in contemporary societies, can be viewed attempts to develop productive practices civilizing. Finally, what articulate such hypotheses is the understanding that the practices of any kind are studded end to end by relations of power, relation of force and interests, which provide the tone and texture of the scientific, social, political and cultural dynamics, which characterize, deeply, the development of the civilizing action.
Palavras-chave: Civilização moderna
Sociologia - Teoria
Sistemas sociais
Razão
Práticas civilizatórias
Modernidade
Relações de força
Racionalidade
Civilization, Modern
Reason
Social systems
Sociology
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
Idioma: por
País: 
Instituição: 
Sigla da instituição: 
Departamento: Sociologia
Programa: Pós-Graduação em Sociologia
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/450
Data de defesa: 22-Mar-2013
Aparece nas coleções:Mestrado em Sociologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
EDILENE_M_CARVALHO_LEAL.pdf1,98 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.