Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/475
Tipo do documento: Dissertação
Título: Relações sociais de gênero e divisão sexual do trabalho : um estudo da informalidade na feira das trocas em Aracaju
Autor: Prata, Sharlene Souza 
Primeiro orientador: Cruz, Maria Helena Santana
Resumo: As relações de trabalho nas últimas décadas foram marcadas por uma série de mudanças que resultou no processo de reestruturação produtiva, cujos efeitos são visualizados por meio da informalidade, flexibilização e precarização das condições de trabalho. Dentro desse contexto está o nosso palco de investigação e análise, a saber, a Feira das Trocas, situada na cidade de Aracaju-SE. Esta feira durante muitos anos e até os dias atuais aglutinou uma grande parte da mão-de-obra que não era absorvida pelo mercado de trabalho formal. Por se tratar de uma feira em que historicamente o poder público não exercia nenhum tipo de controle direto/fiscalização, sempre fora marcada por práticas não apenas informais, mas também de cunho ilegal/ilícito. Simultaneamente a essa conjuntura relatada se observa uma ascensão do número de mulheres no mercado de trabalho. É possível identificar essa situação não somente em âmbito nacional, como também no campo empírico dessa pesquisa. É evidente o aumento do número de trabalhadoras na Feira das Trocas nos últimos anos. Diante desse cenário buscou-se analisar neste estudo as relações sociais de gênero no trabalho informal através da Feira das Trocas no município de Aracaju-SE, atribuindo-se especial destaque, a configuração assumida pela divisão sexual e a precarização que incide, especialmente, sobre a mãode- obra feminina, frente às transformações que o mundo do trabalho vem atravessando. Para tanto foram realizadas 15 entrevistas semiestruturadas ou não-diretivas com comerciantes da Feira das Trocas, dentre estas, 8 mulheres e 7 homens. Do mesmo modo, também se elaborou um levantamento de alguns indicadores socioeconômicos. Os resultados alcançados através da pesquisa demonstram que as mulheres ainda estão submetidas a uma divisão sexual do trabalho assimétrica, visto que elas são responsabilizadas quase que exclusivamente pelas tarefas domésticas dentro dos seus lares, bem como as atividades que elas exercem fora de casa também estão vinculadas diretamente àquelas atribuições tidas como femininas, isto é, extensão dos afazeres domésticos. Contudo, queremos também enfatizar algumas alterações que sinalizaram para uma nova fase do trabalho das mulheres, muito embora esta não seja suficiente para que visualizássemos uma ruptura com a chamada sexualização das ocupações .
Abstract: Labor relations in recent decades have been marked by a series of changes that resulted in the restructuring process, whose effects are visualized by means of informality, flexibility and precariousness of working conditions. Within this context is our stage research and analysis, namely, the Exchange Fair, located in the city of Aracaju-SE. This fair for many years and until today coalesced a large part of the hand labor that was not absorbed by the formal labor market. Because it is a fair that historically the government did not exercise any direct control / supervision, had always been marked by practices not only informal but also imprint illegal / illicit. Simultaneously to this conjuncture reported noted a rise in the number of women in the labor market. You can identify this situation not only nationally, but also in the field this empirical research. Clearly the increase in the number of workers in the Fair of the Exchanges in recent years. In this scenario we have analyzed in this study the social relations of gender in informal employment through the Fair of the Exchanges in the city of Aracaju-SE, giving special emphasis, the configuration assumed by the sexual division and instability that focuses especially on the labor, female labor, compared to the changes that the world of work comes through. Therefore, we conducted 15 semi-structured interviews or non-directive to marketers Fair Exchanges, among these, 8 women and 7 men. Similarly, also produced a survey of some socioeconomic indicators. The results achieved through the research show that women are still subjected to a sexual division of labor asymmetric, since they are blamed almost exclusively for domestic chores within their homes, as well as the activities they perform outside the home are also linked those assignments directly taken as feminine, ie, extension of the housework. But we also want to emphasize some changes that signal a new phase of women´s work, although this is not enough for see a break with the call "sexualization of occupations."
Palavras-chave: Trabalho
Relações Sociais de Gênero
Divisão Sexual do Trabalho
Informalidade
Feira das Trocas
Sociologia
Divisão do trabalho por sexo
Setor informal (Economia)
Mulheres -- Emprego
Trabalhadoras
Feiras livres
Labour
Social Relations of Gender
Sexual Division of Labor
Informality
Fair Exchanges
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Federal de Sergipe
Sigla da instituição: UFS
Departamento: Sociologia
Programa: Pós-Graduação em Sociologia
Citação: PRATA, Sharlene Souza. Relações sociais de gênero e divisão sexual do trabalho : um estudo da informalidade na feira das trocas em Aracaju. 2013. 141 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/475
Data de defesa: 27-Set-2013
Aparece nas coleções:Mestrado em Sociologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
SHARLENE_SOUZA_PRATA.pdf3,4 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.